• Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon

© 2015 a mama |todos os direitos reservados|

BLW: Baby Led Weaning - Vantagens e como iniciar.


No último texto fizemos uma introdução sobre o método BLW - Baby Led Weaning - desmame conduzido pelo bebê - e a proposta desse novo texto é dialogarmos sobre as vantagens e desvantagens desse método, o que é preciso para iniciar e cuidados necessários em casos específicos.

Vantagens

  • Através do BLW o bebê tem um maior número de experiências sensoriais, e inicia a percepção e identificação dos alimentos nas suas diferentes formas, cores, texturas e sabores.

  • Esta prática favorece a eleição de preferências alimentares e maior ampliação do paladar.

  • Permite a articulação e coordenação dos movimentos motores e oral.

  • Permite que o desenvolvimento de habilidades aconteça naturalmente e guiado pelo próprio bebê, estimulando uma ação natural e sequencialmente adequada que envolve captura do alimento, direcionamento para a boca, morder, mastigar e deglutir.

  • Encoraja a independência e a auto-confiança no bebê, que perde a função passiva da alimentação, estimulando a escolha, a experimentação e aprendizado.

Desvantagem

E será que há desvantagem no método? A sujeira e desperdício! Nesta fase de experimentação o bebê vai manipular os alimentos das mais diversas formas até associar que é um alimento e ser direcionado apropriadamente para a boca. Então o alimento vai ser jogado no chão, arremessado longe, esfregado na pele, cabelos etc.

Dica de como minimizar a sujeira e o desperdício:

  • Sugere-se que este bebê sempre esteja na cadeira de alimentação,

  • O chão deve ser forrado com um plástico lavável ou toalha, de modo que os alimentos que caírem possam ser novamente expostos no bandejão;

  • Ofertar aos poucos os alimentos no bandejão (1 porção de cada), sempre repondo a medida que for consumido ou cair da cadeira.

O que é necessário para iniciar?


Ter completado 6 meses. É a partir desta idade que o bebê (alguns) tem capacidade de deglutir sólidos. Além da recomendação de aleitamento materno exclusivo ser até esta fase, como forma de prevenir infecções e garantir adequado desenvolvimento do bebê. Capacidade de sentar sozinho sustentando-se com ou sem apoio. Para que o bebê tenha condições de manipular o alimento adequadamente e deglutí-lo, minimizando o risco de engasgos, é necessário que o bebê esteja em uma posição confortável e adequada. Pode-se apoiar, se for necessário, com almofada, rolinho de lençol, travesseiro ou mesmo no colo.

Apresentar movimento de levar objetos a boca. A presença deste movimento auxilia no processo de conduzir os alimentos para a boca e experimentá-los. Durante este estímulo pode incentivar a criança a levar com exemplos, mas não deve conduzir por ela, não deve executar o movimento, ou mesmo colocar os alimentos na boca do bebê, pois pode favorecer o engasgo.

Apresentar interesse pela comida. Dar oportunidade da criança se interessar pelo alimento no tempo dela, lembrando-se que cada criança vai desenvolver a sua habilidade e interesse em tempo próprio. Para aumentar este interesse é importante adotar práticas que exemplifiquem o consumo, como por exemplo comer a mesma fruta que esta sendo ofertada.


Alimentos que devem ser evitados (inicialmente):

  • Nozes, castanhas, avelãs, amendoins – são duros e arredendados, sendo facilmente direcionados para a garganta, muitas vezes sem o controle adequado.

  • Uvas, tomate cereja e jabuticabas – por serem arredondados devem ser cortados no meio em sentido longitudinal.

  • Folhosos crus (alface, espinafre, couve, rúcula, etc.) – por serem fibrosos, pequenos fragmentos podem desprender e causar engasgos. Você pode ofertar junto a preparações como por exemplo em omeletes.

  • Maçã e peras duras – apesar da criança conseguir cortar pedaços, não consegue mastigar estes pedaços pequenos, favorecendo o engasgo. Oferte as frutas mais maduras e macias, ou mesmo assadas.

E o engasgo?

O risco de engasgo está presente em qualquer oferta alimentar, seja leite materno, outros líquidos, sólidos ou papinhas. A maior parte dos bebês vai apresentar um engasgo leve a moderado, e possui reflexos naturais para expelir o alimento adequadamente.

Um destes reflexos que está bastante presente nos bebês é o reflexo de Gag. Este reflexo apresenta uma semelhança com a ânsia de vômito, com o esforço da garganta em trazer de volta o alimento. Nos bebês este reflexo está mais “antecipado”, na altura do fim da língua, como forma de proteção de vias aéreas responsáveis pela respiração. A posição sentada favorece a realização do reflexo, e em casos da criança apresentar esta manifestação você deve esperar tranquilamente (não se desesperar ou agitar a criança) para que a fisiologia do bebê responda adequadamente ao estímulo, e que o bebê aprenda também com esse episódio.

A depender da intensidade do reflexo, pode haver vômito (é raro, mas acontece), é aflitivo para os pais, mas é natural para o bebê. O reflexo de tosse também é um reflexo de proteção de vias aéreas e que sinaliza que o alimento atingiu traquéia.

A intervenção deve acontecer quando o reflexo de gag dura mais de 5 a 10 segundos sem a eliminação do alimento. Neste momento pode-se inserir o dedo lateralmente pela bochecha do bebê e tentar remover o alimento.

Caso o bebê fique roxo, perder o ar, lacrimejar os olhos deverá ser feita a manobra de Heimlich que consiste em manter o bebê voltado para baixo, com a cabeça ligeiramente mais baixa que o tórax, apoiado em seu antebraço e com a barriga tocando o seu braço. Sustente a cabeça e a mandíbula do bebê com a mão, dê 5 tapas com o calcanhar das mãos no meio das costas. Vire o bebê e apoiando no seu antebraço . No centro do peito na altura dos mamilos faça 5 compressões no tórax com os dedos médio e anelar. Repita a sequência até o bebê desengasgar. O conteúdo sairá pela boca ou nariz , sendo o choro um bom sinal de recuperação. Após o desengasgue coloque o bebê em posição confortável e posteriormente leve-o para uma avaliação médica.

Agora que você já tem uma noção sobre o método BLW e suas vantagens, veja se ele corresponde a sua realidade e valores. Muitas mães estão seguindo o método de forma exclusiva ou mista (junto com o método tradicional). Essa é uma escolha importante, pois é o início da alimentação, quando seu bebê irá constituir seu paladar, preferências, autonomia... Então, também é relevante que você busque um profissional experiente para lhe acompanhar neste processo. Caso tenha alguma dúvida ou comentário, ficaremos felizes em dar continuidade a este diálogo.

Carla Magalhães

carla@amama.com.br


249 visualizações